sábado, 11 de setembro de 2010

Carlos II

Somos mesmo um país terrivelmente injusto. Carlos Cruz tem tido desde a sua condenação um total apoio da televisão pública. As entrevistas sucedem-se, na tentativa de, condenado pelos tribunais, vir a ser absolvido pelo público que há uns anos não perdia um dos seus vários programas televisivos. Por que não terão todos a mesma oportunidade? Se eu cometer um crime e for condenado, terei a mesma oportunidade que Carlos Cruz para reclamar inocência perante o país? Que mecanismos terei de accionar que permitam a minha presença quase diária nas televisões (principalmente na televisão pública) numa derradeira tentativa de enxovalhar a justiça (ainda mais), denegrir os juízes (ainda mais), cuspir nas leis que ainda fazem este país sobreviver? Que outro condenado, por este ou por outros crimes, tem tido as hipóteses de Carlos Cruz? O meu país, o seu país, caro leitor, é isto mesmo: um espaço cada vez mais mal frequentado e onde os condenados têm mais hipóteses de sobreviver do que qualquer um de nós, cujo crime mais grave terá sido o de estacionar o carro em cima do passeio… ou o de ter pago a factura da EDP fora de prazo. E ele até pode estar a ser vítima de um erro judiciário. Mas não serão estes métodos os mais aceitáveis para provar isso mesmo.

3 comentários:

kalikera disse...

Claro!

Anónimo disse...

faço copy / paste, do que disse no seu post Carlos 1.

beijocassssss
vovómaria

Leonel Craveiro disse...

Já nem me preocupo com esse Carlos, o que me preocupa é a chegada galopante do mês de Outubro, isso sim é preocupação séria.

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal