segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Demitido

 
Os milhares de professores que acabaram de ficar sem emprego são a consequência de uma prolongada política de erros crassos que, mais tarde ou mais cedo, tinha de dar nisto. Pode parecer uma enorme alarvidade da minha parte mas o problema começou ainda antes do 25 de Abril, quando toda a gente podia ir para o ensino. Muitos jovens, com o 7.º ano dos liceus (actual 11.º ano), iam dar umas aulas enquanto não arranjavam um emprego “a sério”! De há uns anos a esta parte, felizmente, isso não acontece. Pelo contrário, a grelha apertou de tal forma que até professores com 10 ou 15 anos de serviço, com uma prática excelente e apaixonada, acabaram agora de ficar sem emprego.
Que se faça uma avaliação docente correcta e justa dos docentes, diferente da última que fomos obrigados a cumprir, e se conclua quem são os paraquedistas e quem são os professores de carreira, que levam a coisa a sério e se preocupam, de facto, em transmitir conhecimentos. Talvez assim estes despedimentos fossem menos injustos.

4 comentários:

AMS disse...

Desculpa, João, mas desta vez não concordo contigo. Eu fui uma das "paraquedistas" que entrou no sistema antes do 25 de Abril da forma como descreves, mas não consigo sentir-me "culpada" pela situação que agora vivemos e que afeta não apenas os que, neste momento, estão a ser "demitidos", mas também todos nós de uma forma muito "dolorosa". Talvez porque eu não entrei de forma transitória à espera de outra coisa e como tal "investi" na profissão...
Quando à avaliação, sim, se ela fosse uma verdadeira e credível avaliação do desempenho, e usada como critério de seleção, talvez o sentimento de "injustiça" fosse substancialmente reduzido.

Cloreto de Sódio disse...

Quando, nesse tempo, foste minha professora, percebeu-se, peloa forma como nos ensinavas, que não estarias ali "de passagem". E assim foi.

Anónimo disse...

Caro professor parece-me transparente como água, que num País com uma população cada vez mais envelhecida e com um numero cada vez mais reduzido de nascimentos, o numero de professores no desemprego terá sempre tendência a aumentar. Quando há fartura chega para todos, quando não há....

Abraço
Alfredo




Cloreto de Sódio disse...

É um facto que temos de aceitar, Alfredo.

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal