quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Mais uma ideia... da fofa




         

          Fala-se por aqui, de vez em quando, de Passos Coelho. Pois a fofa anda preocupada com ele. Pelo menos, assim pareceu. Disse-me ela ontem, antes de adormecer, já com a voz entaramelada: “E se o coitadinho do Passos for obrigado a devolver o dinheiro que alegadamente ganhou e não devia ter ganho quando era deputado de nação? Como é que ele se vai arranjar?”

        Não respondi, porque sei de antemão que, naquela fase do dorme-não-dorme, ela, com a rabugice do sono, nunca me dá razão. Mas fiquei a pensar que o primeiro-ministro, com a polémica que já o enlameou, devia ter reagido assim que o denunciaram. Que deixou passar muito tempo até que esclarecesse (ou não) toda a situação relacionada com a sua ligação à Tecnoforma. Que houve tempo de sobra para muita especulação e que esta trouxe ao de cima muitas verdades e muitas mentiras. E, depois, aquela coisa da prescrição dos alegados crimes funciona como a absolvição do padre após a confissão dos pecados. Há perdão, pois há, mas o mal está feito.

          Quando comecei a sentir o pensamento cada vez mais longe de Passos, dos seus amigos e da sua falta de transparência, ouvi a fofa, numa lamúria, já mais para lá do que para cá: “Já sei: o nosso primeiro-ministro podia muito bem arranjar um part-time como primeiro-ministro das Berlengas. Sempre sacava uns euros extra, caso fosse preciso devolver alguma coisa!”
         Depois disto, ouvi um ronronar suave e pausado, sinal de que tinha, finalmente, partido nos braços de Morfeu. Aleluia.





Sem comentários:

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal