sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Estou triste


Tive um sonho mau e que me parece premonitório: sonhei que se tinham acabado nas tascas deste país as perninhas de rã, o carapauzinho de escabeche com dois dias de exposição e as iscas com muito alho e louro a gosto. Que tinham passado a contrabando os copo de vidro de 3 e de 5 e que os traçadinhos eram vendidos às escondidas. Que se tinham finado os croquetes de bacalhau à antiga portuguesa, as tiras de choco e a orelha de porco de coentrada. Que passaria tudo a ser confeccionado, embalado e entregue ao domicílio por empresas especialistas, tudo sem micróbios, sem bactérias, sem sabor.
O que se acabou mesmo foi o CD pirata, o filme corsário e o frango com pó de feira. Acabou-se o cigarrinho fumado com prazer, com os amigos, à mesa do café, depois de uma bifana no prato, de uma mariscada ou, simplesmente, depois do cigarro fumado antes. Portugal castiço está a sucumbir às mãos desse exército anti-Portugal à maneira, que nos vai deixar a todos embalados, limpos, desinfectados e… tristes.

4 comentários:

Anónimo disse...

E é possível a malta ficar mais triste, ainda?
Valente desenrascanso que nos safa.O

Anónimo disse...

faço côro convosco :(!!!!
abreijos
vovó Maria

bacitracina disse...

Até querem acabar com as castanhas assadas enroladas nas páginas amarelas... diz que a tinta é tóxica...
francamente!!!

ZERO À ESQUERDA disse...

Estou para ver o que irão eles inventar para o papel higiénico!...

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal