quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Quando éramos catraios, os nossos pais obrigavam-nos a assumir a responsabilidade pelas asneiras que fazíamos. Vidro partido com uma bolada significava que lá teríamos de confessar ao vizinho o nosso "crime" e retirar algum dinheiro da mesada para compensar o lesado... entre outras regras. Por cá já é tradição instituída o não assumir os erros e as responsabilidades. Ora recordem-se lá:
Guterres não resolveu os problemas do país e fugiu. Durão Barroso assustou-se com os problemas do país e fugiu. Santana Lopes não percebia nada dos problemas do país e foi obrigado a fugir e Sócrates ainda por cá anda... não sabemos por quanto tempo. Scolari falhou e fugiu e, agora, o Presidente do Comité Olímpico Português falhou e vai fugir. NINGUÉM fica para reparar os estragos. Têm uma mesada pequenina.

3 comentários:

kalikera disse...

O sr. comandante tem pinta de Melícias, conselheiro do Guterres, outro fugitivo...

ZERO À ESQUERDA disse...

Quando mais 10 ou 12 decidirem fugir, o país fica mais habitável e, quem sabe, mais governável. Por enquanto, é mesmo um local mal frequentado. Um abraço, Kalikas, foi bom ler-te.

Anónimo disse...

e não é que ao jantar, eu e mais o meu, comentamos exactamente o que aqui foi escrito?...
não há nada como uma boa sintonia :)!!!
infelizmente, é cada vez mais para o que estamos...!!!...
abreijos

vovó Maria

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal