quinta-feira, 14 de junho de 2012

Conhecimento



Estamos no final do ano lectivo. Com este ou com outro ministro, as cenas repetem-se, com os alunos aflitos na última semana de aulas, à espera de um milagre que mude a classificação que foram construindo ao longo de 9 meses de (não) trabalho e que, pelos vistos, acabou por fazer jus à pouca vontade de abrir os livros e de se dedicarem um pouco mais à coisa. Sabemos que o futuro não é seguro nem brilhante, mas o Conhecimento continua a ser a arma mais poderosa que o ser humano pode ter. Quando comparados com o poder deste acervo cultural, o dinheiro, os padrinhos, os títulos e as honrarias nada valem. E a maioria dos alunos, lamentavelmente, ainda não entendeu isso. 

3 comentários:

Anónimo disse...

De facto, o Conhecimento, como bem disse, continua a ser a arma mais poderosa do Homem. Todavia, julgo que, precisamente pelo facto de os Jovens olharem em seu redor (aqueles que, logicamente, conseguem criar a capacidade para o fazer) e perspectivarem o seu futuro, o incentivo que lhes resta para procurar o Conhecimento não será muito grande. Quem sabe o que aconteceria Hoje se a cunha tivesse sido substituída pelo Mérito, no tempo das gerações que prometiam prosperidade? Talvez a Juventude do nosso tempo pudesse sonhar depender dela própria para conseguir ter uma vida estável. Pensar e Trabalhar seriam, assim, de certeza, os ingredientes do sucesso...e não "talvez" os ingredientes desse sucesso, como Hoje acontece. Se as coisas não nos fossem apresentadas desta forma, é provável, a meu ver, que houvesse mais gente motivada.

Um abraço!

Anónimo disse...

lamentavelmente.

beijocasssss
bobómaria

Anónimo disse...

Tens toda a razão, Luís, foi uma luta permanente e quase inglória que travei durante tantos anos. Teria valido a pena? Não sei.
Um abraço
Teresa F.

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal