terça-feira, 3 de junho de 2014

O Sol do nosso descontentamento


 


O Sol voltou mas foi só no azul do céu, porque, de resto, continuamos com um longo Inverno a atravessar as nossas vidas, o Inverno do nosso descontentamento, como disse um famoso rei inglês que Shakespeare fez questão de arrastar para o palco.

Continuamos, portanto, a aguardar eternamente, como borregos mansos e felizes, que nos sejam devolvidos os nossos direitos como cidadãos e trabalhadores. O Governo de Passos Coelho continua, portanto, nitidamente, a omitir verdades, a esconder sabe-se lá o quê, com o apoio da sua noiva de conveniência que continua a querer ser Minister no lugar do Minister. Continuamos, portanto, à espera que nos respeitem como portugueses, como pais, como filhos, como operários deste país quase em ruínas.

Podes esperar sentado”, disse-me a fofa, desta vez pessimista e rezingona. E eu, que confio nela, não me sentei. Deitei-me.


In "O Montemorense", de 20 de Maio 2014

Sem comentários:

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal