domingo, 13 de dezembro de 2009

Fernando Palacino: culpado!



Carlos Guilherme, Anabela e a Banda de Lavre executaram ontem um concerto cheio de complexidades harmónicas, melódicas e rítmicas. O momento alto foi, sem dúvida, o clássico da literatura musical norte-americana de Leonard Bernstein, falecido em 1990 e que continua a não dar descanso aos que gostam de interpretar a sua música. Sabemos que amadores e profissionais gostam de aceitar desafios arriscados e, por vezes, controversos, não apenas pela complexidade dos temas, mas também devido ao conhecimento que o público tem de interpretações exímias de outros músicos e cantores, praticamente "inultrapassáveis" em qualidade, tanto técnica como artística.
No caso de ontem, no Cine-teatro C. Semedo, esse risco foi minimizado, direi mesmo anulado, pelo rigor que Fernando Palacino utilizou na direcção, tanto dos músicos como dos solistas que, e foi visível, confiaram cegamente nos seus gestos, na sua dinâmica e na sua leitura da obra. Interpretar aqueles excertos do West Side Story foi mais um passo em frente, dado com perícia e sentido de responsabilidade, que vai ficar para a já ríquíssima História da Banda.
Anabela e Carlos Guilherme estiveram bem.
A Banda de Lavre superou as expectativas.
Fernando Palacino mostrou estar ao nível dos grandes directores de orquestra. Para mim não foi novidade.




8 comentários:

vovó disse...

Fico feliz pela Banda de Lavre e pelo maestro Palacino, que bem merecem estes pontos altos! Parabéns!

e em Évora? correu bem?... só pode! :)

beijocassssss
vovó Maria

banha disse...

um grande concerto que superou muitas horas de trabalho, que quando é feito desta maneira dá todo o gozo. Como membro da Banda de Lavre só tenho a agradecer este comentário. E claro, o público não desiludiu e deu um especial alento tocar com um Curvo Semedo "à pinha"! Sinceramente até acho que a banda esteve melhor que os cantores! Quanto ao Maestro Professor Fernando Palacino...palavras para quê? Esperemos que hajam mais oportunidades para realizar este espectáculo, e que sejam fora, pois também é um desejo nosso levar o nome de Lavre e, claro está, do concelho de Montemor, ao resto do país, e também porque todo o trabalho que apresentámos ontem não se deve contar só em um concerto. Obrigado, Um abraço


André Banha

Nuno disse...

A análise do João Luís é, como sempre, muito lúcida e extremamente válida, tanto mais que assenta num larga experiência e num perfil artístico que são de todos sobejamente conhecidos. Obrigado, João Luís, pelos teus comentários, que subscrevo em absoluto, particularmente no que diz respeito ao desempenho notável do nosso Maestro. O Palacino esteve, de facto, no seu melhor e mostrou, uma vez mais, que é um grande profissional da música e uma pessoa com um sentido de responsabilidade, uma determinação e uma capacidade de liderança invulgares. Lavre e a música, em geral, muito lhe devem!
Quanto à Banda, penso que muito mais não lhe poderá ser exigido. Foi um grupo notável este que se apresentou ontem em Montemor. Espero que compreendam que os sentimentos de orgulho pelo trabalho realizado e de satisfação pelo dever cumprido não devem ser tomados como indícios de falta de modéstia... Penso que, quando damos o nosso melhor em prol de um trabalho sério, rigoroso e honesto, tais sentimentos são perfeitamente legítimos.
Em Évora, o Coral de S. Domingos não deve ter surpreendido... Já todos conhecemos a excelência deste grupo que tantas alegrias tem dado a Montemor.
Um abraço.
Nuno Alves

roanita disse...

:)

Anónimo disse...

Mais uma grande noite de cultura,parabens e obrigado ao prof João Luis pela excelennte análise que fez ao concerto.
Ante de começar vou dizer que sou o Abìlio Coelho músico da Banda de mUsica Sim~~ao da Veiga de Lavre.
Este programa foi muito arrojado, quando o meu amigo Palacino me falou que gostava de fazer este concerto eu fiquei não com medo mas com alguma expectiva por saber da dificuldade desta obra de Bernstein,é uma obra complexa com uma escrita muito dificil, mas eu sabia da competência do Fernando Palacino e da capacidade dos meus colegas da banda, por esse motivo nao tive dúvidas do resultado que iríamos obter.
Vão me desculpar eu dizer o que me vai na alma, não é por falta de modéstia mas em lavre trabalha-se muito bem, este resultado é fruto de muito trabalho, de um trabalho colectivo muito bem liderado pelo Palacino e pelo Nuno, a nosa banda é uma familia que trabalha e luta pela cultura.
Não queria deixar de agradecer á Câmara Municipal de Montemor o Novo por todo o apoio que nos têm dado, o vosso apopio é bem rentabilizado com a formação de tanta joventude que temos na banda e o resultado é o que viram no Sábado naquele fantástico concerto.
Desejo a todos um excelente Natal e um Novo Ano cheio de cultura porque nos enriquece a alma e nos dá mais saúde.
Um abraço
Abìlio Coelho

Anónimo disse...

Caro João Luis,
Como músico de Lavre é com muito orgulho que leio as palavras que dispensa à Banda e ao seu Maestro pelo Concerto realizado.
Dá para perceber que foi uma noite que não deixou ninguém indiferente...
Oxalá se continue a apostar neste tipo de realizações, que são um factor de excepcional motivação para o nosso grupo.

Feliz Natal
Rui Ferreira
Trombonista

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Zero à Esquerda disse...

O comentário anterior foi apagado, porque se destinava aum outro post.

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal