domingo, 6 de dezembro de 2009

Onde está o presépio?


Largo das Palmeiras
Foto: João Pedro Simões

Depois de montado com a devida antecedência (já não era sem tempo), o sistema de iluminação está pronto para receber o tempo de Natal. A zona histórica da cidade transforma-se, desta forma, durante algumas semanas, num novo cenário que, como é natural, não pode agradar a todos. Vão levantar-se vozes críticas, questionando a autarquia se não havia coisa mais útil em que utilizar o dinheiro. Claro que, se não houvesse iluminações, outras vozes (quem sabe se as mesmas) perguntariam por que não havia iluminações se havia dinheiro para tantas outras coisas. Assim, antes ser preso por ter do que por não ter… luzinhas de Natal.
Mas há um largo, histórico, imponente e o mais exótico da urbe, que vai continuar às escuras neste Natal. Palco dos festivais internacionais de folclore, no mês de Agosto, o Largo das Palmeiras (Praça Dr. Miguel Bombarda) que, em tempos, foi uma das mais movimentadas da vila, merecia sem sombra de dúvida um tratamento mais… iluminado. Quem sabe se, para o ano, para além das luzes, ali possa fazer-se a encenação de um Presépio ao vivo e a cores, com a preciosa ajuda dos actores do nosso concelho? Aqui fica a sugestão de um morador do largo, e que eu subscrevo de forma absoluta.


13 comentários:

vovó disse...

acaba-se o primeiro parágrafo e são minhas as suas palavras e pensares.
parte-se para a segunda parte do texto e... ai que "reboliço" na minha cabeça!!! :))) não diga mais! estou pronta para o desafio! :) vamos trabalhar nele? bora lá?!... se precidar de mim...

beijocasssss
vovó Maria

zé disse...

Apoiado...
E, quase que me atrevo a dizer, " Todos os Palmeiristas estão prontos para ajudar e participar no desafio, como diz a vovó. E lá que vai ficar bonito isso vai...
beijos abraços e flores

zé disse...

e já agora, obrigado por dares voz a todos os " Palmeiristas "

Menino do Coro disse...

Estou em Lisboa, e conheço minimamente Montemor-o-Novo. Concordo que este espaço poderia ser muito melhor aproveitado, especialmente nesta quadra natalícia. É um espaço muito bonito, aliás como toda a zona antiga da cidade.
Um abraço muito especial para o "marado" das ideias"

Orlando

Luis disse...

Já la vão mais de 10 anos que tenho este espaço nas minhas recordações.Se fosse mais perto eu próprio iria ter convosco para fazer de São José no presépio ou até mesmo de pai natal e levar um pouco de conforto e um pouco de alegria a essa marcante praca.
Estou na Madeira e tenho sempre MONTEMOR-O-NOVO no Coração

Luis Gouveia

ZERO À ESQUERDA disse...

Vovó: aquele tabuleiro, com as palmeiras torna-se o cenário ideal. Assim se queira fazer alguma coisa.

ZERO À ESQUERDA disse...

Zé: não tens de agradecer. A velha praça merece que se preocupem com ela. E, tenho a certeza, os serviços da autarquia vão interessar-se por um eventual projecto. Porque é impossível ficar parado. Abraços

ZERO À ESQUERDA disse...

Orlando/Menino do Coro: já sabes! Para o Natal de 2010 dás cá um saltinho. O Coral de São Domingos vai parar na Praça para cantar ao Menino Jesus. Vem cantar connosco.

ZERO À ESQUERDA disse...

Luís Gouveia: Montemor deixa saudades a quem passa por cá. E a música, essa linguagem mágica, dá uma ajuda! Abraço.

Alfredo disse...

Na verdade isto é apenas o reflexo de um grave e crescente problema que afecta as grandes urbes e se começa também a fazer reflectir embora em menor escala nas pequenas cidades: a desertificação das zonas históricas!
Num breve passeio pela zona histórica de Montemor podemos constatar o cada vez maior numero de habitações ao abandono com a consequentente perda da componente humana agravada ainda pelo facto de a maioria destas zonas não terem uma componente comercial.
O elevado custo destas fracções (bastante superior por m2 ao de um lote novo na periferia) ao qual se somam os cada vez maiores custos de demolição (por questões ambientais),a dificuldade em encontrar profissionais especializados em reabilitação, o maior condicionamento na aprovação de projectos nestas zonas, a deficiente qualidade de construção destas habitações principalmente a nivel térmico, entre outros para isso contribuem.
Curioso é também o facto de o custo médio da habitação em Montemor ser muito elevado, bastante superior ao de Vendas Novas e ao nivel do Montijo, Alcochete, e Pinhal Novo por exemplo, concelhos com muito mais oportunidade de emprego e logo maio facilidade na captação e fixação de jovens.
Só com a fixação de jovens se pode assegurar o rejuvenescimento das urbes e nesse aspecto Montemor com as suas cada vez mais parcas oportunidades de emprego é uma terra madrasta para os seus descendentes!

ZERO À ESQUERDA disse...

Alfredo:
Não estou por dentro dessas matérias como o meu amigo, mas sei que o Centro Histório de Montemor tem alguns edifícios de traça antiga a ficarem lentamente em ruínas. Os proprietários não têm dinheiro para os restaurar e, aparentemente, ninguém mais tem capacidade para resolver o problema. Daqui a uns anos (e não serão muitos) alguns prédios que ajudam hoje a definir as caraterísticas do C. Histórico acabarão por ruir e eu espero não estar cá para ver.

Anónimo disse...

Caro Dr. João Nabo,
apoio a 100% a sua "indignação"! Para além do desprezo a que está entregue a referida Praça, penso que a encenação de um Presépio vivo ou até mesmo a montagem de um presépio seria uma forma de também ali se dizer: aqui é Natal! Feliz Natal a todos!
Padre Ricardo

ZERO À ESQUERDA disse...

Caro Pe. Ricardo:
Tenho a certeza de que vai ser possível. Um abraço e obrigado pela visita!

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal