quinta-feira, 25 de abril de 2013

25 de Abril sempre? Não. Já!




Foi esta canção - Grândola, Vila Morena -  do Alentejo sofredor e profundo, uma das senhas da revolução do 25 de Abril, efeméride que irei comemorar hoje,k porque nunca sabemos quando será a última vez. Ouvimo-la ser cantada com mais frequência nos últimos meses do que no período pós-revolucionário. E, cada vez que a ouço, vou até à avenida espreitar se os jipes e os blindados seguem já avenida abaixo em direcção a Lisboa. Mas não. Acendem o rastilho mas a coisa fica por aí. São apenas falsos alarmes. Medricas.

PS: A arruada na minha terra, que iniciou as comemorações de Abril, foi frouxa e com o pessoal habitual a gritar em grande desacerto.  E os outros? Onde ficaram?
Temos o Governo e os políticos que merecemos.

1 comentário:

Unknown disse...

Também concordo João Luis, são sempre as mesmas pessoas a dar a cara e a aparecer...e os outros, os que estão em dificuldades, os que estão sem emprego, os jovens, os que por alguma razão não estão contentes ( e não podem estar...penso eu), onde ficaram...em casa, no café... assim não podemos ter uma mudança...

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal