sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Eu cá sou do PPS




Deu origem a alguma troca de opiniões o pequeno texto inserido neste espaço, intitulado “O Partido Comunista e as Autárquicas” e publicado também no jornal "O Montemorense". Não me apetece estar agora retomar o debate e analisar algumas das absurdas conclusões de alguns comentadores, até porque o resultado local das eleições autárquicas serve para justificar o que escrevi. Crio eu, agora, a minha própria conclusão: afinal, 35 anos após o 25 de Abril, nem sempre é fácil expressar livremente as ideias, sem ser “colado” a partidos ou ideologias.

Se alguns dos meus leitores, críticos e atentos ao que escrevo, também quiserem emitir publicamente as suas opiniões, façam como eu: escrevam-nas nos jornais ou nos blogues. Caso queiram agradar aos líderes (sabe-se lá porquê) usem os jornais dos respectivos partidos ou mesmo os placards reservados à propaganda partidária. Destes dois últimos, não preciso. Eu não tenho que agradar nem desagradar. A ninguém. Se isso acontece é pura coincidência. Afinal de contas, por enquanto estou filiado num PPS, Partido de Pessoa Singular que, como o nome indica, só tem um militante: eu. E duvido que se aceitem mais associados. É que nas reuniões do meu partido costumamos pensar pela nossa cabeça.

19 comentários:

Carlos Machado Acabado disse...

Infelizmente, meu caro "Cloreto", aquilo que podia (e devia!) ser uma espécie de órgão central do P.C. (o Partido da Cidadania...) a Net, tende demasiadas vezes a ser uma espécie de caixa de ressonância de outras coisas, perdendo-se, em larga medida, aquela que poderia ser a principal qualidade destes debates virtuais: a troca franca e leal de ideias, a discussão aberta e não preconceituosa de pontos de vista estritamente pessoais, i.e. um forum inestimável para a reflexão responsável, educada e realmente livre.
É esta a realidade, desgraçadamente e não sei, com toda a sinceridade, se vale realmente a pena acreditar que as coisas possam efectivamente mudar.
Veremos, como dizia o cego...
Um abraço!

Leonel Craveiro disse...

PPS, boa malha, sem duvida!

Já tens segurança pessoal e motorista?
Eu posso acumular as duas funções, é uma questão meramente contratual!
Pensa e diz qualquer coisa. Ou será preciso alguma "cunha"?

Abraço.

Anónimo disse...

O blogue virou fórum. O Carlos Acabado, a HR e outros (alguns anónimos) deram uma boa ajuda nesse sentido. Estou a gostar.

Anónimo disse...

Faço votos para que neste fórum transpareça a liberdade de expressão. Que as pessoas possam debater as suas ideias sem acusações despropositadas, escondidas em discursos que, embora brilhantes e legítimos, arrastem sempre uma acusação encapotada à aqueles que não se identifiquem com a mesma ideologia. É com certeza gratificante para todos nós, Montemorenses, Portugueses, e Pessoas do Mundo, podermos usufruir de uma ferramenta como a net, e com ela reviver as tertúlias de outros tempos.


Pensadora

ZERO À ESQUERDA disse...

Pensadora:
Também tu, com a tua crítica assertiva deste um bom contrubuto para estas reflexões. Continua por cá. Um abraço.

Anónimo disse...

Agradeço o convite! Por cá me encontraram, nas tertúlias, na procura de “novidades”, na partilha e no debate de ideias! Não quero trocar “amabilidades”, mas felicito-o por “dar voz a esta terra”!

Pensadora

Anónimo disse...

Pensadora

Você é certamente discreta mas ao quere sê-lo demais identifica-se bem.
Cumprimentos e sê bem vinda ao blog
HR

Anónimo disse...

Caro Zero à Esquerda:

Deixe-me sugerir-lhe uma alteração ao nome do seu partido,nome esse que estará ligado à sua cada vez maior abertura à sociedade

PEP - Partido Eremita Português

com sede ( mais conhecido como eremitério) no seu escritório. ;P

Aj de Campo

ZERO À ESQUERDA disse...

Olhe que não, senhor doutor, olhe que não!
E você sabe que não. Isso já é uma ideia que o persegue. Skip it!

Pensadora disse...

Encontrando-me nos 5 minutos de pausa do trabalho de voluntariado a favor da causa pública, apeteceu-me “espreitar” se o novo partido já tinha as assinaturas necessárias para se constituir. Em vez disso, vejo a proliferação de partidos… Então, eis que dando uso ao meu “nome”, pensei qual seria o partido que eu própria gostaria de fundar neste momento, e surgiu-me um em mente um, o PPT – Partido Para Todos. O momento é de união de esforços; de inclusão de todos, em particular dos que mais precisam; de dinâmica em prol de mais direitos; e, de incorporação do cumprimento dos deveres.

Pois é meus caros, enquanto não pensarmos todos que o momento particular que atravessa o nosso País requer união, sem desvirtuar ideologias, mas utilizando-as de uma forma sensata, não avançaremos, e pior que isso, não ajudamos aqueles que precisam mais do que nós…

Anónimo disse...

Pensadora

Concorda plenamente e como tal comecemos logo esforços nesse sentido, mas mesmo todos e não recostar-mo-nos esperando que outros façam por nós e esperando dias melhores...passe a ideia.HR

ZERO À ESQUERDA disse...

Pensadora e HR, estou a ver que querem alterar os estatutos do meu partido... Não sei se será assim tão fácil!

Leonel Craveiro disse...

Se fosse comigo seria caso para uma reunião do Conselho Nacional, com marcação posterior de Congresso para directas, pois não se pode coabitar com a desunião do Partido e com o actual estado de asfixia democrática.
Ainda precisas de segurança?

ZERO À ESQUERDA disse...

Estou a ver que sim. E de uma vice-presidente, por causa da paridade...

Leonel Craveiro disse...

Proponho a Pensadora para ocupar esse cargo.
Abraço.

Anónimo disse...

Concordo com o Leonel, talvez a pensadora seja a opção correcta...No entanto poderei estar na lista para dar sequência à paridade...HR

Pensadora disse...

Calma...
Eu gosto de trabalhar, de ajudar, de apoiar, até de contrariar quando disso se precisa para não nos acomodarmos...mas para cargos políticos, não contem comigo. Posso avançar com algumas razões, como por exemplo: não gosto de campanhas políticas e sou alérgica a “quotas”, lembram-me “fretes” e é coisa que não gosto de fazer. Mas, à excepção de assumir um cargo, poderão contar comigo para trabalhar, é disso mesmo que eu gosto, segundo a minha mãe, até exagero um pouco... Mas como sabem as mães são sempre muito bondosas para com os filhotes.

Mas meus caros, digam-me cá se com PPT ou sem PPT, o nosso País não necessita urgentemente de se unir em torno de uma nobre causa: Progresso! Precisamos urgentemente de criar condições para haja igualdade de oportunidades, para que tenhamos níveis de educação e cultura que igualem os nossos vizinhos Europeus, e de imediato, que consigamos ultrapassar esta conjuntura de crise que assolou o Mundo, mas que de facto se faz sentir mais em Países com estruturas económicas mais fragilizadas. E será que todos estes passos têm que ser dados unilateralmente apenas por quem está no Governo? Penso que uma Assembleia sem maioria é um sinal para todos os que a compõem e um convite a descerem dos ser pedestais e trabalhem em conjunto.

João Cara de José disse...

Abraço! Venha de lá esse partido a ver se metes a malta a trabalhar que é do que este país precisa.

ZERO À ESQUERDA disse...

:)

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal