quarta-feira, 28 de abril de 2010

Amnésico


Estou pronto para organizar um peditório nacional para o Vareta ser tratado e ficar com a memoriazinha afinada. A ver se ainda conseguimos ver algum pessoal deste calibre ir dentro.

O tamanho da foto apresenta-se directamente proporcional ao respeito que a personagem me merece. Procurei uma ainda mais pequena mas sem resultado...



6 comentários:

vovó disse...

o Zé Carlos Ary, quando se referia a criaturas do estilo, dizia: "gentinha!...". esta, nem isso é.

beijocasssss
vovó Maria

Anónimo disse...

Sendo discutíveis os conceitos de realidade, verdade, certo e errado, bem e mal...era inevitável o aparecimento de pessoas que adoptassem atitudes que levassem em conta essas subjectividades ou até mesmo, incoerências...

Para o cínico, a superfície dos ideais(ou seja-aquilo que o ideal prega)é apenas folclore e não acreditando nessa superfície, deixa-se afundar nos eternos "porquês" que, embora ingénuos, são honestos.O hipócrita vive NA superfície dos ideais, salvando assim a sua consciência do conflito com o fundo das questões.O hipócrita é assim, mais prudente, pois consegue deste modo viver sem angústias morais nem dúvidas, sem nunca lidar consigo mesmo quando procede mal e sem nunca entender o que está por trás dos ideais que assume.
No caso do cínico, o objectivo não é fazer amigos nem dar impressões populares ou agradáveis mas ser duro com a verdade, para que possa tratá-la o mais realisticamente que conseguir(um pouco ao estilo do Dr House).
No caso do hipócrita, o objectivo é gerência das impressões exteriores para não lidar com os factos(um pouco ao estilo de certos políticos ).

Leonel Craveiro disse...

O engraçado da coisa é o facto de a corrupção ter tratamento diferenciado, do tipo ao gosto do freguês, ou melhor, ao jeito do freguês.
No caso do Apito Dourado, quem se tramou foi o árbitro que alegadamente recebeu dinheiro ou "fruta", no caso da sucata quem se tramou foi quem deu dinheiro ou "fruta", ou seja, é sempre o mais pequeno que se trama. Nem sempre é quem dá, nem sempre é quem recebe.

prs disse...

Aquele que serve sem esperar recompensa

É o melhor exemplo de ser humano,

Servindo traz sentido à sua existência,

Esse é o verdadeiro bom samaritano.



Outros ajudam esperando obter prêmios,

Receber agradecimentos e até dar entrevistas,

São esses que têm a alma muito pequena

E geralmente os conhecemos como ‘os oportunistas’.



Existem aqueles que são controladores,

Que oferecem apoio não exigindo nada,

Mas quando terminam de fazer os favores

Requerem o controle sobre a pessoa ajudada.



O máximo que se deve esperar é um muito obrigado,

O que passa disso é característica do egoísta

Que não serve, mas investe tentando lucrar um bocado,

Seja dinheiro ou a alma, como um típico oportunista.


Eduardo de Paula Barreto

Ava disse...

Eheheeh, fabuloso post.

Um abraço Ava.

Alfredo disse...

Está descoberto o novo bode expiatório para a crise, os desempregados!
Depois dos malandros dos juizes, professores, médicos etc, agora os culpados são os 600.000 desempregados!
A culpa não é dos boys e corruptos como este senhor que acumulam pensões e regalias, mas sim dos desempregados que não querem preencher os 600.000 postos de trabalho que se encontram desocupados por todo o país!

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal