sábado, 13 de março de 2010

Cada vez mais

Depois da maluquice do post anterior, abrir o mail e descobri lá uma pérola que me tinha enviado o Manuel Filipe Vieira. Vou pô-la aqui, porque é actual e porque muitos de nós pensam assim TODOS OS DIAS. Era bom que MUITOS que eu cá sei pudessem ler o que a seguir se transcreve. Se calhar... ficavam na mesma.


O valioso tempo dos maduros

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar
da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
'As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos,
quero a essência,
minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!


Mário de Andrade (São Paulo, 1893- 1945) foi um poeta, romancista, crítico de arte, musicólogo, folclorista e ensaísta brasileiro.

9 comentários:

Anónimo disse...

Usa colete reflector e raquetes.

Limpa o espelho de quando em vez, e as lentes!

Ana Casadinho disse...

É Lindo o poema de Mário de Andrade!!
Infelizmente, somos invadidos por "gentes" que olham cada vez mais para os seus umbigos. Erram, como qualquer um de nós, falham, como toda a gente, mas raramente têm a humildade de reconhecer as suas limitações e a coragem de reorientar a sua forma de estar.Muitos com as "lentes embaciadas" ou com muita sensibildade ao "brilho" dos outros e, por isso, ficam cegos para o que se passa à sua volta.

Limpar o espelho??? Todos devemos fazê-lo diariamente. Ter também a coragem de dizer quem somos...
Belinha Casadinho

Anónimo disse...

Felizmente há estrelas!

Essas não ofuscam resplandecem a sua inigualável beleza interior. Dão luz a todos e não pedem nada em troca.


Infelizmente somos meros pirilampos e alguns que se julgam "mágicos"

Ana Casadinho disse...

"Felizmente há estrelas..."

É verdade, não podia concordar mais consigo!!! E essas Estrelas de que fala, com "...inigualável beleza interior", são de facto as Verdadeiras. E eu, que não passo de "mero pirilampo", que nem magia consigo ter, tenho o privilégio de estar rodeada de algumas dessas Verdadeiras Estrelas. Seres únicos que nos "dão luz e não pedem nada em troca". Seres de uma singularidade tão especial que são para nós Lições de Vida. Seres genuínos, que não estão constantemente em "Palco" e que todos os dias me ensinam e ajudam a crescer como pessoa. Talvez um dia "eles" me consigam ajudar a ter alguma magia. Não quero ser pirilampo mágico mas adoraria conseguir ser uma "Porta Mágica".
Citando Mário de Andrade, " minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!"

A todos os que caminham ao meu lado, me acrescentam e me ensinam a ver o Essencial,
OBRIGADA
Belinha Casadinho

Anónimo disse...

A todos os que caminham ao meu lado, me acrescentam e me ensinam a ver o Essencial,
OBRIGADA


Infelizmente, somos invadidos por "gentes" que olham cada vez mais para os seus umbigos. Erram, como qualquer um de nós, falham, como toda a gente, mas raramente têm a humildade de reconhecer as suas limitações e a coragem de reorientar a sua forma de estar.Muitos com as "lentes embaciadas" ou com muita sensibildade ao "brilho" dos outros e, por isso, ficam cegos para o que se passa à sua volta.


E eu, que não passo de "mero pirilampo", que nem magia consigo ter, tenho o privilégio de estar rodeada de algumas dessas Verdadeiras Estrelas. Seres únicos que nos "dão luz e não pedem nada em troca". Seres de uma singularidade tão especial que são para nós Lições de Vida.

Não quero ser pirilampo mágico mas adoraria conseguir ser uma "Porta Mágica".


É verdade, não podia concordar mais consigo!!!

vovó disse...

na mosca!
Grande Mário de Andrade!
cada vez mais partilho e pratico esta "doutrina" :)
beijocassssss
vovó Maria

Na Mosca disse...

Limpar o espelho??? Todos devemos fazê-lo diariamente. Ter também a coragem de dizer quem somos...

Anónimo disse...

Dedico aos verdadeiros amigos
"Que bobagem falar que é nas grandes ocasiões que se conhece os amigos! Nas grandes ocasiões é que não faltam amigos. Principalmente neste Brasil de coração mole e escorrendo. E a compaixão, a piedade, a pena se confundem com amizade. Por isso tenho horror das grandes ocasiões. Prefiro as quartas-feiras."

Mário de Andrade

Anónimo disse...

Dedico aos verdadeiros amigos
"Que bobagem falar que é nas grandes ocasiões que se conhece os amigos! Nas grandes ocasiões é que não faltam amigos. Principalmente neste Brasil de coração mole e escorrendo. E a compaixão, a piedade, a pena se confundem com amizade. Por isso tenho horror das grandes ocasiões. Prefiro as quartas-feiras."

Mário de Andrade

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal