quarta-feira, 31 de março de 2010

Montemor em obras!

Obras na cidade para corrigir defeitos. As passagens de peões estão a ser adaptadas para permitir o acesso a cidadãos portadores de deficiência motora. Nós, os portadores de outros tipos de deficiências, nem nos apercebemos da importância deste pequeno grande investimento. Não sei se as obras vêm tarde ou cedo. Mas sei que estão a ser feitas e isso é, para mim, sinónimo de evolução e integração. Montemor é um espectáculo. Digam lá o que disserem!



9 comentários:

Anónimo disse...

Mas mesmo assim é a parte mais fácil. Depois ainda há a parte de mudar mentalidades e aprender aos conductores a não estacionar nos passeios!!
Uma coisa de cada vez...
P.M.

Anónimo disse...

É de louvar, sim senhor, mas é preciso que os condutores respeitem os peões.... "alguns" locais públicos já têm acesso para pessoas portadoras de "deficiência"...agora pergunto....: cafés, restaurantes e até vivendas e blocos de apartamentos feitos recentemente? não deveriam ter todos estes tipos de acessos? a lei não o prevê?

João Cavaco disse...

É uma adaptação muita bem feita mas que veio um pouco tarde.

Cumprimentos

Maria disse...

Montemor é um espectáculo, sim senhor. Só é pena ser tão quente no verão!
Mas sempre acabo por ir às migas e empadas no inverno...

zé disse...

Sim senhor, bem visto, bem feito, mas na minha opinião de nada serve.
È que há sempre alguem com muita pressa, e deixa o carro a impedir a passagem a quem mais precisa.
Nas voltinhas que dou pela cidade com meus amigos da cerci, tenho verificado esse facto, e o que para nós seria um simples passeio, acaba por ser uma autentica aventura radical. Pior é que as senhoras e senhores que cometem tamanha infracção,apenas tem de se deslocar um ou dois metros para se deslocarem até ao seu destino.
Chamo eu a isso mobilidade reduzida.... desculpa mentalidade reduzida, enganei-me
beijos abraços e flores

Canela disse...

Só pela gente que esa terra já deu ao Mundo... é um espetáculo sim senhor.. Quanto às deficiências é melhor nem começar se não vou dar outro rumo à coisa... :)

Grande Abraço

Pedro Canela

Cloreto de Sódio disse...

Claro que falta mudar o comportamento de alguns (muitos) cidadãos, que continuam a esquecer-se dos direitos dos portadores de deficiência e que acham os edifícios com rampas de acesso "muito inestéticos". E, claro que não basta adaptarem-se as passagens de peões com rampas adequadas. Em pleno séx. XXI ainda há muitas alterações a fazer na nossa cidade para que todos nós possamos circular de forma autónoma. Basta querer-se. Obrigado a todos pelas visitas. E, sim, Montemor tem umas excelentes migas e umas empadas divinais. E deu ao mundo personalidades importantes nas mais diversas áreas do saber e do humanismo, que deram o seu contributo para a mudanda de mentalidades - São João de Deus, Curvo-Semedo, Almeida Faria, Luís Miguel da Veiga...

A Quaresma disse...

"A Quaresma é tempo oportuno para olharmos para as mudanças em curso e para o modo como elas nos atingem e nos desafiam. Devemos fazê-lo, não a partir das nossas visões preconceituadas e dos nossos interesses individualistas e egoístas, mas deixando-nos guiar pela luz do Evangelho e situando-nos sempre num horizonte de esperança. Ao terminar esta nossa reflexão sobre aspectos relevantes do nosso viver em comum, em tempo de turbulência e de risco, queremos, ainda, acrescentar algumas interrogações que ajudem a uma reflexão pessoal e comunitária, neste tempo que deverá ser de revisão de vida, discernimento e conversão: - Como encaramos a mudança? Com temor ou com esperança? - Será que, nós próprias/os seguimos um modelo de vida consumista e nos sentimos desanimados/as só porque não podemos continuar com o ritmo de consumo a que nos habituámos? - Não será esta uma oportunidade para rever, se for caso disso, os critérios básicos em que assenta o nosso estilo de vida? Se não estivermos atentos, o consumismo cria em nós o sentimento de que tudo é necessário, ao ponto de sacrificar-lhe valores importantes, tais como a vida familiar e a qualidade das demais relações humanas, para podermos consumir mais, ter mais coisas. - Em que está assente o nosso conceito de felicidade? - Assumimo-nos como sujeitos activos deste mundo em transformação ou resignamo-nos a ser apenas sujeitos passivos, privilegiados ou vítimas? - Será que a magnitude dos desafios nos deixa conformados com a aparente inevitabilidade dos processos em curso e indiferentes ao cortejo das suas vítimas, ou, pelo contrário, nos move na busca de novas alternativas e nos leva a mobilizar as nossas energias no sentido de aproveitar as potencialidades criadas para abrir caminho à justiça, à solidariedade e à fraternidade, em todos os espaços de proximidade em que nos movemos, mas sem esquecer o vasto Mundo e a construção de uma cidadania mundial?"

Leonel Craveiro disse...

Montemor só podia ser um espectáculo.
Alguém tem duvidas sobre isso?
Ok, pensava que sim!

Abraço e Boa Páscoa.

Vejam lá se desta vez escolhem outro(a) para cortar o borrego na segunda-feira, não queremos mais acidentes idênticos ao ocorrido no Natal.

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal